Saúde Puericultura Pré-mamã e Mamã Educação Desenvolv. Infantil Desporto Festas Infantis Material Didáctico Actividades Lúdicas Vestuário Casa e Decor Transportes Produtos Biológicos Yoga Massagem Infantil Seguros e Finanças Viagens e Lazer Animais Ofertas Formativas Artigos 2ª Mão

Publicidade




Ler uma História

A história dos homenzinhos de patins



ler história


Receitas da Semana

Cake Pops



ver receita


Venda de Livros

 


 
FacebookTwitterGoogle+LinkedInNewsletter
Notícias

 



Parlamento debate obesidade em crianças e jovens
05-03-2012
JN
  O combate à obesidade infantil e juvenil vai ser debatido, na quinta-feira, no Parlamento, com a apresentação de propostas do PSD, PS e "Verdes" sobre a doença que atinge um em cada três crianças e jovens portugueses.

Restrições à publicidade a alimentos para aqueles grupos etários e campanhas televisivas que alertem para as vantagens de fazer uma alimentação saudável e a prática de exercício físico fazem parte dos textos apresentados pelas formações políticas.

O PS considera que o excesso de peso nos jovens é um "problema de saúde pública" e refere que cada criança obesa custa ao Estado 680 euros por ano, 1,7 vezes o custo médio dos restantes menores.

Além de "ameaçar a sustentabilidade do sistema de saúde pediátrico", a obesidade infantil aumenta a percentagem de jovens adultos afetados por doenças cardíacas, diabetes e cancro, entre outros problemas de saúde.

O PSD, partido que lidera a coligação governamental, acentua também os custos que o excesso de peso acarreta para o indivíduo e para a sociedade e reforça o leque de consequências apontando que a obesidade faz diminuir a esperança de vida entre cinco e 20 anos nas pessoas afetadas.

A regulação e vigilância da venda de alimentos junto às escolas (PS) e a criação de etiquetas para classificar os alimentos, em que o verde seria sinónimo de alimento recomendado (PSD), são outras das propostas integradas nos documentos que vão ser debatidos pelo plenário da Assembleia da República. O projeto do Partido Ecologista "Os Verdes" dá especial atenção à publicidade e propõe alterações legislativas nesta atividade, como afirma já ter apresentado em 2006.

Os ecologistas defendem mesmo a proibição de anúncios na televisão e internet a produtos alimentares destinados ao público infantil e juvenil, com exceção dos que incentivem uma alimentação saudável, e querem que a fiscalização sobre a matéria passe a ser feita pela Direção Geral da Saúde.

PSD e PS coincidem no recurso à comunicação social também para fazer passar mensagens que realcem as vantagens de crianças e jovens adquirirem hábitos de vida saudáveis.


<<  voltar  |  topo  |  Todas as Notícias





Termos e Condições de Utilização
Copyright - Portal da Criança - 2007-2014
Desenvolvido por:
 CCEB