Saúde Puericultura Pré-mamã e Mamã Educação Desenvolv. Infantil Desporto Festas Infantis Material Didáctico Actividades Lúdicas Vestuário Casa e Decor Transportes Produtos Biológicos Yoga Massagem Infantil Seguros e Finanças Viagens e Lazer Animais Ofertas Formativas Artigos 2ª Mão

Publicidade




Ler uma História

O figo mais doce



ler história


Receitas da Semana

Cake Pops



ver receita


Venda de Livros

 


 
FacebookTwitterGoogle+LinkedInNewsletter
Notícias

 



Alimentação: manual para crianças
10-10-2007
Portugal Diário
  A agência da ONU para a Agricultura e Alimentação (FAO) apresentou esta terça-feira um manual para promover e ensinar bons hábitos alimentares, destinado a crianças entre os seis e os 12 anos, com o objectivo de prevenir problemas de saúde no futuro, escreve a Lusa.

   "Ensinar às crianças os benefícios de uma alimentação saudável é uma das estratégias mais eficazes para vencer a má nutrição e as doenças relacionadas com a alimentação", afirmou, em conferência de imprensa, Teresa Buerkle, porta-voz da FAO em Genebra.

   "Muitas pessoas não se apercebem de que não é apenas a quantidade da comida que as crianças ingerem que afecta o crescimento, a saúde e a capacidade de aprendizagem, mas também a qualidade da dieta", adiantou, em comunicado, Ezzeddine Boutrif, directora da FAO para a Nutrição e Protecção do Consumidor.

   Os hábitos alimentares estão muito ligados aos valores culturais e sociais, segundo Teresa Buerkle.

   Como futuros pais, as crianças que aprenderem a ter uma dieta equilibrada, evitando os riscos relacionados com a má alimentação, poderão transmitir este ensinamento aos seus filhos.

   Desta forma, indicou Ezzeddine Boutrif, podem reduzir-se os custos derivados das doenças relacionadas com a alimentação nas gerações futuras, como a obesidade, a diabetes, a hipertensão ou doenças cardio-vasculares, doenças que têm recrudescido em todo o planeta.

   Nesse sentido, Meter Glasauer, especialista da FAO em educação nutricional, explicou que ainda que "a fome e a má nutrição afectem cerca de 820 milhões de pessoas em todo o mundo, a globalização e o crescimento económico introduziram novos alimentos alterando os hábitos alimentares em muitos países".

   Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), duas em cada três pessoas com excesso de peso - cerca de 1.600 milhões de adultos em todo o mundo - ou obesas - cerca de 400 milhões - vivem nos países em vias de desenvolvimento.



<<  voltar  |  topo  |  Todas as Notícias





Termos e Condições de Utilização
Copyright - Portal da Criança - 2007-2014
Desenvolvido por:
 CCEB