Saúde Puericultura Pré-mamã e Mamã Educação Desenvolv. Infantil Desporto Festas Infantis Material Didáctico Actividades Lúdicas Vestuário Casa e Decor Transportes Produtos Biológicos Yoga Massagem Infantil Seguros e Finanças Viagens e Lazer Animais Ofertas Formativas Artigos 2ª Mão

Publicidade




Ler uma História

Mamadou sorri enquanto bebe uma chávena de chá



ler história


Receitas da Semana

Cake Pops



ver receita


Venda de Livros

 


 
FacebookTwitterGoogle+LinkedInNewsletter
Notícias

 



Deco ajuda a escolher a melhor creche ou jardim-de-infância
15-07-2007
DN Online – Céu Neves
A creche tem fácil acesso e situa-se em piso térreo? Está esclarecido sobre o projecto educativo, o regulamento interno, as qualificações do pessoal e o programa de higiene das instalações? Os corredores e as escadas têm janelas para evacuar o fumo? Existe uma educadora por sala? Estas são algumas questões que um pai ou uma mãe devem poder responder para avaliar se uma creche ou jardim-de-infância são bons. E se enviar as resposta para a Deco, esta promete ajudá-lo a fazer a escolha acertada.

O formulário de avaliação está disponível no site daquela associação de consumidores - www.deco.pt - e na revista Proteste. Quem o preencher, recebe imediatamente a informação se o estabelecimento em causa é aconselhável ou não. Posteriormente, a Deco promete disponibilizar uma base de dados com todas as creches e jardins-de-infância que os consumidores visitarem, o que depende da boa adesão dos consumidores a esta campanha, iniciada em Julho.

"São algumas questões que podem ajudar os pais a escolher uma creche ou jardim-de-infância. E, também, quem já tem crianças nestas instituições pode fazer uma avaliação. Sabemos que os pais nem sempre têm possibilidade de escolha, até por razões económicas ou de falta de vaga, mas os que o podem fazer, que tenham mais esta indicação", explica Fernanda Santos, uma das técnicas da Deco responsável pela campanha.

As perguntas implicam uma visita "guiada e baseiam-se em critérios objectivos e que estão divididos por grandes áreas: localização, questões legais, projecto educativo, riscos de incêndio, segurança, número de profissionais, instalações, refeições, salas de actividades e recreios. A maioria dos critérios baseia-se em exigências da própria lei.

Fernanda Santos admite que existem dados subjectivos a ter em conta, nomeadamente a empatia que o encarregado de educação estabelece com os funcionários e o espaço durante a visita. Outro factor a ter em conta é a avaliação que fazem os pais das crianças que já frequentam o estabelecimento. Aliás, esta informação pode ser o ponto de partida para se fazer uma primeira triagem.

As creches e jardins-de-infância são geridas pelas autarquias, a quem os pais podem pedir informações.

A campanha da Deco surge na sequência de um trabalho idêntico sobre as instituições para idosos. "São equipamentos fundamentais para as famílias e há muitos estabelecimentos que não têm qualidade. Desta forma, damos a possibilidade ao consumidor de fazer uma avaliação crítica", justifica Fernanda Santos.

Aquela técnica sabe, no entanto, que a mensalidade é um factor determinante na escolha e que impede o acesso a equipamentos de qualidade. Nesse sentido, a Deco diz que "as vagas na rede pública da educação pré-escolar, previstas há dez anos na lei, são insuficientes" e lembra que o Governo prometeu aumentar a rede de jardins-de-infância , de forma a que abranjam 90% das crianças.


<<  voltar  |  topo  |  Todas as Notícias





Termos e Condições de Utilização
Copyright - Portal da Criança - 2007-2014
Desenvolvido por:
 CCEB