Saúde Puericultura Pré-mamã e Mamã Educação Desenvolv. Infantil Desporto Festas Infantis Material Didáctico Actividades Lúdicas Vestuário Casa e Decor Transportes Produtos Biológicos Yoga Massagem Infantil Seguros e Finanças Viagens e Lazer Animais Ofertas Formativas Artigos 2ª Mão

Publicidade




Ler uma História

Um gato debaixo do pinheiro de Natal



ler história


Receitas da Semana

Cake Pops



ver receita


Venda de Livros

 


 
FacebookTwitterGoogle+LinkedInNewsletter
Notícias

 



Roupa especial ajuda crianças com deficiências
17-09-2012
Diário Digital
  Uma roupa especial em desenvolvimento na UEPA (Universidade do Estado do Pará) tem estado a ajudar crianças com deficiências neuromotoras a aprender a movimentarem-se e a ter uma postura correcta.

Esse tipo de roupa já é fabricado no estrangeiro, mas a comercialização no Brasil esbarra no preço: 2.000 reais.

O que difere na universidade paraense é o uso de material de baixo custo para produzi-la a 600 reais. Nesse valor está incluído o material, a mão-de-obra e o pagamento a um profissional que fará os ajustes ao corpo do utilizador.

Os primeiros modelos devem ficar prontos ainda este ano e serão destinados para crianças de até oito anos. A produção comercial, porém, só deve começar em 2013.

A universidade está em negociações com uma empresa paulista interessada no negócio.

A roupa está a ser testada em crianças com deficiência neuromotora da Unidade de Referência Especial em Reabilitação Infantil, em Belém.

Uma delas é Rafael, de dois anos, que tem paralisia cerebral e, por isso, apresenta dificuldades em movimentar-se e manter a postura correcta. Com a roupa, ele tem postura mais firme e, auxiliado por fisioterapeutas, caminha com mais facilidade.

O projecto é da investigadora Larissa Prazeres e faz parte do Núcleo de Desenvolvimento em Tecnologia de Assistência e Acessibilidade (Nedeta), da universidade. A instituição recebeu 300 mil reais do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação para desenvolver essa e outras pesquisas de acessibilidade.

A roupa biocinética, como foi baptizada, possui anéis de metal localizados nas regiões de alguns músculos, como joelhos, tronco e bacia. Ela fica justa no corpo e, com isso, corrige a postura. Os anéis metálicos suprem a força que o músculo não tem. Assim, ajudam a executar movimentos e passam ao cérebro informações neuro-sensoriais.

"É como um computador: vai enviando mensagens correctas para o cérebro, o corpo ajusta-se, e o cérebro apaga as mensagens incorrectas", explica Ana Irene de Oliveira, coordenadora do Nedeta.

Com o tempo, o cérebro vai assimilando os movimentos correctos para que a roupa deixe de ser necessária. A ideia é que ela seja usada diariamente, num trabalho conjunto ao do fisioterapeuta.


<<  voltar  |  topo  |  Todas as Notícias





Termos e Condições de Utilização
Copyright - Portal da Criança - 2007-2014
Desenvolvido por:
 CCEB