Saúde Puericultura Pré-mamã e Mamã Educação Desenvolv. Infantil Desporto Festas Infantis Material Didáctico Actividades Lúdicas Vestuário Casa e Decor Transportes Produtos Biológicos Yoga Massagem Infantil Seguros e Finanças Viagens e Lazer Animais Ofertas Formativas Artigos 2ª Mão

Publicidade




Ler uma História

As quatro estações



ler história


Receitas da Semana

Cake Pops



ver receita


Venda de Livros

 


 
FacebookTwitterGoogle+LinkedInNewsletter
Notícias

 



Mortalidade infantil desce, mas ainda há 9,2 milhões de vítimas ano
13-09-2008
Lusa
  Lisboa, 13 Set (Lusa) - A UNICEF alertou na sexta-feira para a necessidade de mais esforços para salvar a vida das crianças, assinalando que no ano passado morreram cerca de 9,2 milhões antes de completarem cinco anos.

   Apesar dos dados divulgados pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), este é o número mais baixo de sempre e confirma uma tendência decrescente da taxa de mortalidade infantil que se tem verificado nas últimas décadas.

   A taxa de mortalidade infantil caiu cerca de 27 por cento, quando comparada com dados de 1990, recolhidos e divulgados pela UNICEF. De acordo com aquela agência, registaram-se no ano passado, em todo o mundo, uma média de 68 mortes por mil nascimentos, enquanto na década de 90 a relação era de 93 mortes por mil.

   Ao todo, em 2007, morreram cerca de 9,2 milhões de crianças com menos de cinco anos e estima-se que um terço foi vítima de subnutrição. Perante este cenário, a directora executiva da UNICEF, Ann Veneman, alertou na sexta-feira para necessidade de desenvolver rapidamente programas que satisfaçam as necessidades nutricionais das crianças, jovens e mulheres.

   Bangladesh, Bolívia, Laos e Nepal registam as mais "impressionantes evoluções", passando para metade a taxa de mortalidade em relação a 1990.

   Nos países industrializados, existe uma média de apenas seis mortes para mil nascimentos. Já em países como Serra Leoa, 262 em mil crianças morrem antes de completar o quinto aniversário.

   Quando comparados os números actuais com a década de 60, Ann Veneman lembra que a taxa de mortalidade caiu 60 por cento.

   "Os últimos dados indicam uma melhoria em muitos serviços básicos de saúde, como o uso exclusivo da amamentação, a imunização do sarampo, os suplementos de Vitamina A, o uso de tratamentos para prevenir a malária e a prevenção e tratamento do HIV", recordou aquela responsável.

   "Espera-se que estas intervenções tenham resultados numa ainda maior diminuição da taxa de mortalidade infantil nos próximos anos", acrescentou, lembrando, no entanto, que, apesar da evolução, ainda há muito para fazer.


<<  voltar  |  topo  |  Todas as Notícias





Termos e Condições de Utilização
Copyright - Portal da Criança - 2007-2014
Desenvolvido por:
 CCEB