Saúde Puericultura Pré-mamã e Mamã Educação Desenvolv. Infantil Desporto Festas Infantis Material Didáctico Actividades Lúdicas Vestuário Casa e Decor Transportes Produtos Biológicos Yoga Massagem Infantil Seguros e Finanças Viagens e Lazer Animais Ofertas Formativas Artigos 2ª Mão

Publicidade




Ler uma História

Entendemos tão pouco



ler história


Receitas da Semana

Cake Pops



ver receita


Venda de Livros

 


 
FacebookTwitterGoogle+LinkedInNewsletter
Notícias

 



Governo nega que 100 mil crianças estejam sem apoio
11-09-2008
Diário IOL
  Educação especial: dado havia sido adiantado por especialista da Universidade do Minho

   O secretário de Estado da Educação negou esta quarta-feira que mais de 100 mil alunos com necessidades educativas especiais estejam sem apoio pedagógico, como afirmou à Lusa um especialista em Educação Especial da Universidade do Minho.

   "Desminto em absoluto que mais de cem mil crianças estejam sem apoio. Não tem o mínimo de fundamento e é totalmente inverosímil", afirmou Valter Lemos.

   As declarações do secretário de Estado surgem na sequência de uma notícia divulgada esta quarta-feira pela agência Lusa, na qual o coordenador da área de Educação Especial da Universidade do Minho, Miranda Correia, avança aquele número, considerando que a falta de apoio pedagógico se transforma, em muitos casos, "em graves problemas de insucesso escolar".

   O especialista afirma ter chegado àquele dado baseando-se no facto de não existirem estudos efectivos do número de crianças com necessidades especiais e de o Ministério da Educação (ME) apresentar uma estimativa de cerca de 1,8 por cento, um valor "muito abaixo de qualquer estudo internacional".

   Em declarações à Lusa, Valter Lemos, que não especificou quantas crianças com necessidades educativas especiais terão apoio pedagógico no ano lectivo que hoje começa, afirmou ainda desconhecer o caso, igualmente noticiado hoje, de um rapaz com trissomia 21 a quem terá sido negada a hipótese de estudar numa instituição de educação especial.

   "O ME desconhece em absoluto essa situação. Nem a mãe [da criança], nem qualquer entidade expôs o caso a nenhum gabinete ministerial. Vamos averiguar a situação e, se se verificar que há algum fundamento, ela será resolvida", assegurou o secretário.


<<  voltar  |  topo  |  Todas as Notícias





Termos e Condições de Utilização
Copyright - Portal da Criança - 2007-2014
Desenvolvido por:
 CCEB