Saúde Puericultura Pré-mamã e Mamã Educação Desenvolv. Infantil Desporto Festas Infantis Material Didáctico Actividades Lúdicas Vestuário Casa e Decor Transportes Produtos Biológicos Yoga Massagem Infantil Seguros e Finanças Viagens e Lazer Animais Ofertas Formativas Artigos 2ª Mão

Publicidade




Ler uma História

O coelhinho de orelhas azuis



ler história


Receitas da Semana

Cake Pops



ver receita


Venda de Livros

 


 
FacebookTwitterGoogle+LinkedInNewsletter
Notícias

 



Crianças são as principais afectadas pelo aquecimento global
29-04-2008
Público
  São as crianças, e principalmente as dos países mais pobres do planeta, as principais afectadas pelas consequências do aquecimento global. A conclusão é de um relatório da UNICEF no Reino Unido, publicado agora no âmbito das comemorações dos dez nãos da assinatura britânica do protocolo de Quioto.

   Mas não é só a saúde destas crianças que está em risco. Segundo o relatório, cheias, secas, doenças provocadas por vectores, como a malária, afectarão também a educação e perspectivas de futuro das crianças dos países mais desprotegidos.

   Enquanto os países mais desenvolvidos e mais ricos se adaptarão a esta nova realidade climática, os povos com menos recursos não terão hipótese de responder a estes novos desafios.

   "É quem tem contribuído menos para as alterações climáticas, os países mais pobres e, acima de tudo as suas crianças, que serão os mais afectados", disse David Bull, director da UNICEF no reino Unido, em declarações à BBC.

   "Se o mundo não responder já para minimizar os efeitos das alterações do clima e para se adaptar aos riscos que esta nova realidade introduziu, estaremos a colocar em perigo o cumprimento dos Objectivos do Milénio até 2015", acrescentou Bull.

   Os oito Objectivos do Milénio, os maiores desafios mundiais segundo as Nações Unidas, compreendem a erradicação da pobreza extrema e da fome, a educação universal, a igualdade de género, a redução da mortalidade infantil, o investimento na saúde materna, o combate contra o HIV e malária, entre outras doenças, a sustentabilidade do ambiente e a construção de uma parceria global com vista ao desenvolvimento.

   As nações comprometeram-se a alcançar estes objectivos até 2015. Mas o Banco Mundial alertou este mês para o facto desse comprometimento estar em risco de não ser cumprido. Pelo menos a África Subsariana falhará todos os oito objectivos por essa data.

   Mas para a Unicef são as alterações climáticas o principal travão a essa conquista. O aquecimento global e as consequências na redução de chuva, o aumento das doenças relacionadas com o consumo de água não potável, como a cólera e a diminuição da produtividade agrícola reforçam esta tese do organismo das Nações Unidas para a infância.

   "Todas estas consequências têm a ver com o aumento da temperatura global que cresceu pelo menos um grau em média, desde 1850", disse à BBC Nicholas Stern, ex-vice-presidente do Banco Mundial, conselheiro do executivo de Gordon Brown e autor do relatório Stern Review sobre o impacto económico das alterações climáticas. Segundo Stren são as alterações climáticas o principal motor de um possível aumento da taxa de mortalidade infantil em África.


<<  voltar  |  topo  |  Todas as Notícias





Termos e Condições de Utilização
Copyright - Portal da Criança - 2007-2014
Desenvolvido por:
 CCEB