Saúde Puericultura Pré-mamã e Mamã Educação Desenvolv. Infantil Desporto Festas Infantis Material Didáctico Actividades Lúdicas Vestuário Casa e Decor Transportes Produtos Biológicos Yoga Massagem Infantil Seguros e Finanças Viagens e Lazer Animais Ofertas Formativas Artigos 2ª Mão

Publicidade




Ler uma História

A espada do rei Uther



ler história


Receitas da Semana

Cake Pops



ver receita


Venda de Livros

 


 
FacebookTwitterGoogle+LinkedInNewsletter
Notícias

 



Crianças com dificuldades estão por identificar
13-03-2007
Portugal Diário
Mais vale as escolas pedirem uma observação e não ser nada, do que deixar avançar a situação, alerta especialista

Uma grande percentagem das crianças com dificuldades escolares está por sinalizar ou os seus problemas só são identificados tardiamente, o que compromete o seu sucesso na vida, alertou esta quarta-feira o neuropediatra Luís Borges.
"O sucesso escolar é fundamental para o sucesso na vida, daí a importância de identificar esses problemas e intervir rapidamente, mudando a trajectória, para a aprendizagem e para o bem-estar", sublinhou Luís Borges, director do Centro de Desenvolvimento da Criança do Hospital Pediátrico de Coimbra (HPC).
O médico falava à Agência Lusa a propósito do XIII Seminário do Desenvolvimento, que decorre quinta e sexta- feira no auditório da Reitoria da Universidade de Coimbra.
Embora sem dados estatísticos, Luís Borges estima que uma grande percentagem das cerca de 10 por cento de crianças portuguesas com dificuldades escolares provocadas por causas específicas dos menores não se encontra identificada. "Continuamos a receber [no Centro] crianças em idades tardias, com dificuldades escolares que já poderiam ter sido detectadas", adiantou o neuropediatra.
Dislexias, défice da atenção/hiperactividade, epilepsia, sequelas de traumatismos crânio-encefálicos, paralisias mentais ou atrasos mentais ligeiros são algumas das situações, intrínsecas à criança, que lhe causam problemas na aprendizagem escolar.
"É importante que a escola identifique o miúdo que não tem o rendimento que é o adequado, que não acompanha os colegas por qualquer razão", frisou o pediatra, referindo que "mais vale pedir uma observação [da criança] e depois verificar que não é nada, que se deve apenas a imaturidade, do que deixar avançar a situação".


<<  voltar  |  topo  |  Todas as Notícias





Termos e Condições de Utilização
Copyright - Portal da Criança - 2007-2014
Desenvolvido por:
 CCEB