Saúde Puericultura Pré-mamã e Mamã Educação Desenvolv. Infantil Desporto Festas Infantis Material Didáctico Actividades Lúdicas Vestuário Casa e Decor Transportes Produtos Biológicos Yoga Massagem Infantil Seguros e Finanças Viagens e Lazer Animais Ofertas Formativas Artigos 2ª Mão

Publicidade




Ler uma História

Mamadou sorri enquanto bebe uma chávena de chá



ler história


Receitas da Semana

Cake Pops



ver receita


Venda de Livros

 


 
FacebookTwitterGoogle+LinkedInNewsletter
Artigos

 


Ver todos os artigos  |  Categorias


Criança come muito...o que fazer?
Dezembro, 2010
Dra. Solange Burri - Consultora em Alimentação
Projecto babySol® - Segurança Alimentar e Nutrição Infantil


[ver mais artigos deste autor]
  Tenho 1 filha com 9 anos que começou a engordar. Agora está com 36 kg e não sei o que fazer. Ao pequeno-almoço só bebe leite (adoçado e com 1 colher de chocolate). A meio da manhã mando-lhe uma bolinha com fiambre ou mortadela de peru com um pacote de leite fornecido pela escola. Ao almoço come o habitual nos infantários: sopa, prato de carne ou peixe e fruta. Ao lanche também come no ATL e por norma é iogurte e pão com fiambre, ou cereais, ou leite achocolatado e pão com manteiga. Ao jantar tento alternar, um dia carne outro dia peixe. Quando faço sopa ela só come sopa e de seguida uma fruta, ou uma sobremesa que faça. Antes de se deitar bebe sempre leite adoçado com mel.
  O maior problema é que ela desde que chega a casa até à hora das refeições não pára de comer. Durante a semana está restrita ao tempo, porque está nas aulas e tem horários próprios para comer. Mas ao fim de semana "assalta-me" a despensa e o frigorífico. Embora eu não tenha "porcarias" em casa, ela devora iogurtes, os néctares, come pão com manteiga (de soja), bebe leite, etc. E de que forma é que eu a proíbo de comer? Já falei com ela inúmeras vezes sobre o facto de lhe fazer mal estar sempre a comer porque não consegue fazer uma digestão em condições, sobre ela estar a engordar e depois não se gostar de ver ao espelho... Mas ela nada. (Mamã C., filhota 9 anos).


  Gostaria de dizer-lhe, antes de mais, que apenas poderei dar-lhe algumas directrizes generalizadas face àquilo que descreveu. Considero importante que procure uma nutricionista para lhe efectuar um apoio personalizado, face ao peso da criança versus a sua altura.

  Assim informo do seguinte:

  1º Se a criança tem excesso de peso, então significa que consumiu maior quantidade de alimento do que aquela que necessitava para suprimir as suas necessidades energéticas. Assim, é fundamental que a criança inicie já uma actividade física que goste e a qual a ajudará a retomar o seu peso ideal. Sugiro pois que analise qual o desporto que a filhota poderia gostar e, o qual, os pais poderiam acompanhá-la semanalmente, motivando-a também;

  2º Na minha opinião, se a criança não se encontra satisfeita, este facto poderá estar associado a uma alimentação desadequada nas refeições principais que não estejam a fornecer-lhe os nutrientes energéticos que necessita. Pode também, conjugado ou não, estar relacionado com algum tipo de ansiedade psicológica que a criança evidencia, razão pela qual considero fundamental que a criança seja avaliada presencialmente por um profissional, nutricionista ou dietista, de modo a realizar também o despiste de algum distúrbio fisiológico como, por exemplo, diabetes.

  3º Considero, contudo, que a alimentação da filhota pode ser rapidamente alterada, pela diminuição do açúcar e mel presente na sua dieta diária. O mesmo é válido para os enchidos que veiculam sempre muita gordura e sal que, ao dar muita sede, pode contribuir para o consumo de bebidas em excesso, com alto teor de açúcar. Deve, realmente, fazer sempre 2 refeições completas (sopa/2º prato/fruta) e cumprir o espaçamento entre si de 3h00-3h30.

  4º Importante também beber bastante água, ou sumos diluídos, mas sempre fora das refeições e até 30 minutos antes e duas horas depois para facilitar a digestão, tornando-a assim mais eficaz.

  5º Importante também garantir a qualidade nutricional daquilo que existe à disposição da criança. Na minha opinião, não é adequado proibir a criança de comer isto ou aquilo, a estratégia é mesmo não colocar determinados alimentos à sua disposição. Simplesmente não compre para não ter que dizer não.

Projecto babySol® - Segurança Alimentar e Nutrição Infantil
www.solangeburri.blogspot.com

[ver mais artigos deste autor]


<<  voltar  |  topo  |  Todos os Artigos





Termos e Condições de Utilização
Copyright - Portal da Criança - 2007-2014
Desenvolvido por:
 CCEB